Translate

domingo, 26 de novembro de 2017

Não Mate Os Sonhos De Um Autor

Como qualquer arte o CD, o DVD, a música é um investimento legal e muito sério quando comprado de forma legal.

O que preciso lhe dizer é o seguinte, lhe perguntar: QUE VALOR TEM NO MERCADO UM PRODUTO PIRATA?   Pense e responda a si próprio a você mesmo dentro de seu coração.

Em se tratando de arte não tem valor, não tem respeito e no futuro quando esta publicação se tornar rara o seu produto não terá valor algum. Você estará perdendo seu dinheiro desta forma. Isso do ponto de vista da arte.

Você não se importa com os autores, com as famílias, seus herdeiros, deixo isso também por conta de sua consciência. Como fica o sustento dele e dos seus...

Isso vale para o produto de grandes gravadores assim como para trabalhos independentes. Dentro da lei os valores são os mesmos.
Quando receber seus amigos em casa para aquela farra,festinha, sua estante vai está bem deselegante, cheia de ching-ling ou sei lá como se chama estes produtos. Vai fazer feio em e se vai.

Não mate os sonhos de um autor, ajude, pois no Brasil já é muito complicado por não existir investimentos para eles e também pouca divulgação sobre seus trabalhos. Muito se houve de cantores, de compositores é bem mais difícil. Apesar de a lei ser clara quanto à exposição do nome do autor de forma clara.

Há anos dando esta básica assessoria lhe afirmo o autor brasileiro não tem tido como viver de sua arte, de sua música, o mercado é muito competitivo além das questões citadas acima. Não saberia precisar tanta carência de apoio por isso você que compra música, pense neste profissional que sem ele não existiria os demais campos da música, os demais ramos.

Gil
Gil Assessoria Musical 

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

É necessário autorizar minhas músicas por escrito?

Antes de tudo é bom lembrar a importância do registro da canção na Biblioteca Nacional, isso pode vir a ser bem útil caso haja problemas o mercado, nunca se sabe do futuro.

Fazer este registro não é obrigatório, mas, altamente recomendável mesmo sua obra sendo protegida a partir da criação. Isso daria ao autor o cumprimento da legislação, o querer da lei. Fica bem mais simples claro e fácil defender uma obra registrada do que uma canção sem seu devido cadastro na BN- BibliotecaNacional. Busque a mais próxima de sua casa ou acesse o site, ela permite que você coloque suas obras pelos correios. A sede da BN fica no Rio de Janeiro e você vai aguardar o seu registro em casa, esteja você em qualquer recanto do Brasil.

Outra opção legal é a edição que por lei tem o mesmo valor de registro.

Caso precise processar alguém por uso indevido de sua obra, já estará com toda documentação em dia.

Naturalmente, a BN não lhe dará defesa, mas dará documentos de comprovação de sua obra para efeito judicial. Diferente da edição que diante do que fora firmado em contrato pode vir a lhe dá boa assessoria jurídica.

Finalizando:SIM - É sim necessário autorizar suas canções por escrito e isso todas as vezes que for gravada – mesmo que seja a mesma canção. O cantor, gravadora, produtor deve requisitar do autor, da editora a autorização por escrito. Isso torna toda situação legal entre as partes. 


Posso te ajudar?

Gil
Gil Assessoria Musical 

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

O autor da canção que desejo gravar já morreu, preciso de permissão para gravar esta música? Como consigo a autorização?

SIM – você precisa da autorização para gravar qualquer canção que não esteja em domínio público.

Atualmente no Brasil, o domínio público se dá 70(setenta) anos após a morte do autor a contar de janeiro do ano subsequente. Isso de acordo com a LDA – Lei de Direito Autoral - PLANALTO

Você pode gravar sim, desde que esteja munido de autorização por escrito de seus herdeiros ou do editor da canção.

Caso seja uma obra publicada fica mais simples de localizar o editor e resolver este empasse, o contrário terá que localizar os parentes do autor e pedir autorização por escrito.

Como consegue: Junto aos seus herdeiros ou com o editor da canção

Consulte sempre a LDA-Lei de Direito Autoral

Gil

Gil Assessoria Musical 

domingo, 22 de outubro de 2017

Presente Musical Para Quem Mais Ama

Diante do desenvolvimento da criança, a música pode ser de grande aliado e percebe-se que, os bebes tem reações diversas diante dos sons e confesso é lindo ver um criança ainda bem novinha se mexendo diante do som de uma canção. Muitas vezes quando a mãe canta para ela percebemos que ela vai bocejando, repetindo os sons, fitando os olhinhos mostrando assim uma reação diante do que ouve. Isso acontece nas mais variadas culturas da terra.

Muitas mães ainda grávidas cantam para seus bebes, seu filhinho na barriga e relatam belas experiências.  Nos primeiros anos de vida quem na terra nunca ninou seu filho com uma canção e ele se acalmou. A música está no ser humano das formas mais variadas desde os seu nascimento.

Há inclusive estudos, em uma teoria popular que a criança se desenvolve mais ouvindo músicas clássica. Uma coisa é bastante evidente, a música ajuda a regular as emoções da criança principalmente quando se canta ao vivo para ela. Muitas vezes percebemos que a criança tende a imitar os sons.

De fato somos testemunha, que a maioria os jovens aprendem bem melhor com professores que usam músicas em sala de aula para passar os ensinamentos até de matérias mais difíceis de exatas, todos sabemos disso.

Pais do Brasil, da terra, se você pode, dá um instrumento musical para seu filho, coloque em uma aula de canto. Você só terá que selecionar bem a pessoa que vai ministrar estes ensinamentos. Isso porque não se abre a porta da vida para qualquer coisa e sim para o que é bom. Se a música faz bem, ajuda no desenvolvimento, porque não agregar este valor a quem você ama.
Descubra cedo o instrumento musical  que ele mais se identifica, assim fica mais fácil o desenvolvimento.

Pense Nisso...

Posso te ajudar?


Gil

Gil Assessoria Musical 



terça-feira, 3 de outubro de 2017

PUBLICAÇÃO DE MÚSICAS

É a única forma do compositor ganhar seu dinheiro, sua renda.

Enquanto as grandes empresas, gravadoras batalham para pagar suas contas, o autor pode ir publicando suas canções de que forma: ele mesmo gravando ou autorizando a terceiros (outros cantores) a cantarem suas obras.

Esta é a única alternativa, não adianta compor e deixar em baixo do colchão.

Nos dias de hoje há compositores que ainda esperam que tudo vai cair do céu, sabe eu diria até que cai, se você se mexer e começar a negociar o que compõe. Desta forma sim, as portas do céu se abrem. Então corre atrás, para compensar todo tempo perdido.

Outra coisa, não é tão simples atingir o alvo almejado, mas, nada é impossível, para isso é indispensável tentar sem esmorecer.

E é muito comum, normal e belo ver canções de diversos autores tocando por todo país, em todo planeta nas mais diversas vozes. Afinal, nem todos tem potencial para cantar e compor. Muitos compõe e não tocam um único instrumento, não cantam e isso são muitos espalhados pelo país, creio que até, que a grande maioria. Este é o artista nato, da natureza tem o dom dos versos musicais, música na alma.

Uma vez publicada sua canção começa uma das partes mais difíceis do percurso, a divulgação para tocar em rádios, TV, Net e demais eventos públicos – é daí que nasce seus royalties, seu direito autoral de execução pública.

Este é um assunto pouco compreendido, mesmo pelo próprio autor. É necessário conhecer o funcionamento do espaço independente e não vacilar, ele não é menos importante que os das grandes gravadoras, quanto se trata de remuneração pela execução pública. Entenda isso para seu bem.

Muitos passam levam anos para chegar ao alvo, mas, para isso já galgou um longo caminho. Como lhe dizer, lhe dá um incentivo... Nunca pare de batalhar pelo sonho de ver suas canções tocando. Consciente de que o trabalho é árduo, mas possível.


Posso te ajudar?


Gil

Gil Assessoria Musical 

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O DIREITO AUTORAL PROTEGE O NOME DE MINHA BANDA MUSICAL?

NÃO

Na LDL (Lei de Direito Autoral) não existe proteção para nomes, caso deseje manter exclusividade deste trabalho, de sua banda é preciso consultar o INPI e lá sim fazer seu registro de marcas, nomes ou patentes. Existem casos em que se consegue a proteção

Para ter exclusividade sobre o nome de um serviço ou produto, ou ainda um logotipo que o identifique, você precisa registrar marcas.

A posse exclusiva de um nome, de uma marca, de uma patente é de competência do INPI- Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

No sítio você encontra todo percurso para verificação https://gru.inpi.gov.br/pePI/jsp/marcas/Pesquisa_classe_basica.jsp- SISTEMA DE BUSCA DE MARCAS DO INPI - certificando-se ou não da existência do nome em questão, como ver a pesquisa é feita oline, simples assim...

Muitas vezes, imagina-se ser o único a usar e na verdade já existem outros no mercado com o mesmo nome. O sistema vai acusar se você pode ou não registrar sua marca. Todo trajeto você encontra no site e é bem simples toda execução do trabalho e toda pessoa física ou jurídica pode requisitar registros de marcas.

O registro de nomes é diferente do registro de músicas, na composição muitas músicas podem ter o mesmo título, o que vai dá exclusividade nas composições é a letra e melodia diferenciada.



Posso te ajudar?


Gil

Gil Assessoria Musical 

segunda-feira, 31 de julho de 2017

COMO RECEBER DIREITO AUTORAL - #creditoretido

Você pode não crer, mas é fato, é você que deve pedir sempre a sua associação para verificar seu crédito retido no Ecad,  isso com frequência.

No Brasil você só tem o Ecad como arrecadador e fiscalizador, ele não tem concorrente. Então só a sua associação pode te ajudar neste caso, veja com frequência, diria que trimestralmente sem falta peça ao sua assessoria  para verificar os seus retidos. Seja prudente pode acontecer sim de ficar pendências no sistema.

Caso tenha  retidos, forneça a documentação necessária para que seja liberado - COBRE, cobre o direito é seu.
Milhares de autores e profissionais da música deixam caducar e é preciso saber que isso  prescreve.

Cada dia é preciso aprender mais sobre o seu trabalho...Agora faça isso de forma correta. 

Não tenha medo de cara feia, eles só existem por que você é o produto do trabalho deles e com certeza estão lhe atenderão sorrindo.

#COMORECEBERDIREITOAUTORAL 

Posso te ajudar ?



Gil



Gil Assessoria Musical 

quarta-feira, 19 de julho de 2017

#AGASALHO #Brasilestámuitofrio

O Brasil está muito frio #DOE
DOE o agasalho, o cobertor que você não usa mais para quem precisa...
Há muita gente nas ruas com frio, muitas famílias com crianças que precisam de você...
VEJA isso com carinho - não dê o que não serve, o que está rasgado - é seu próximo. É um ser humano.
OLHE do seu lado, tem sempre alguém que precisa bem juntinho, do seu lado. 
Não precisa ir longe, atrás de uma organização para distribuir, faça você mesmo...É a garantia que deu certo.

Jesus te abençoe!
Gil

terça-feira, 11 de julho de 2017

Lei Rouanet – O Que Sabemos ?

Vamos ser objetivos, vamos tentar simplificar e aprendermos juntos.

O que o artista brasileiro tem de concreto de apoio das instituições, da sociedade, da nação, do governo? Apenas a lei.

Para todas as artes a lei de incentivo a cultura:  Lei Rouanet
Específica para criadores: A LDA – Lei de direito autoral – abrangente para música, fotografia, livros, pinturas – para todo criador.

O órgão regulador destas leis é o Ministério da Cultura – MINC.
Isso é o que tem o artista da nação brasileira. Triste, a mais pura verdade e mais nada.

Existe uma confusão gigante, sem tamanho quanto ao uso da Lei Rouanet, no que concerne a investimentos.
Muitos acusam o governo de ter dado milhões a determinados artistas e por isso um desconforto se espalha em todo país. Neste lado, o governo tem sua culpa, não se empenha em esclarecer a nação o verdadeiro funcionamento da lei. Divulga-se de tudo menos os projetos de arte e o funcionamento dos mesmos.

Entender de forma prática o funcionamento da lei, simplificando a aplicação dela é indispensável.
Existe no site do MINC um programa chamado SalicWeb – onde o proponente, ou seja, o produtor, o artista ou quem pretende tal benefício faz o cadastro de seu projeto e em seguida o MINC avalia para aprovação, uma vez aprovado o requerente passa a captar os recursos junto às empresas ou pessoas físicas que possam contribuir com a cultura. Isso porque dentro da lei também existe o perfil determinado para este contribuinte ser um parceiro da cultura. Este perfil diz respeito à condição tributária, ao estilo de tributação onde se enquadra.

Não é como se prega, se fala, se diz por ai dizendo que o governo deu milhões a fulano e sicrano. O proponente, artista, produtor, etc. É que faz a capitação do que precisa para seu projeto.
É possível que entre os usuários exista má-fé, creio que sim, mas, cabe aos fiscais, a auditoria do MINC em cada projeto executado avaliar se ouve danos à sociedade penalizando assim requerentes, esses processos não tem tido a visibilidade desejada pela nação, mas, acontece.

Falta na sociedade, nas empresas, informação suficiente da aplicação da lei e isso é indispensável, até para que mais artistas sejam beneficiados. Seria também, uma forma de levar todo brasileiro que tem condições a contribuir com a cultura e sem medo, sabendo que parte de seu IR seria investido em alguém que realmente precisa.

Porque só vemos investimentos em grandes artistas, artistas famosos?
Deduzo que, não existe formação cultural na alma de quem faz esta contribuição, infelizmente! Segundo, porque os empresários preferem pessoas que lhes deem visibilidade em seus negócios, pois, um dos requisitos da lei é que o logo, a marca de tais empresas seja exposta no site, eventos destes artistas. Isso é perfeitamente compreensível.
É uma reciprocidade, eu te ajudo e você divulga minha marca, meu negócio. Simples assim.
Um pequeno artista não daria tamanha divulgação. Isso verdade, ninguém tem pena dos milhões de pequenos, mas bons da arte espalhados pela nação.

Dentro deste resumo vamos pensar em sugerir algo que leve o contribuinte a pensar no menor. Quem sabe até mais respeito a que mais precisa de ajuda.

LEMBRANDO: o governo não dá nada a ninguém, é o contribuinte que faz esta parceria com a cultura no país. Outra coisa, o proponente presta contas de tudo que recebe e gasta no decorrer de todo projeto. Portanto, ele também paga todos os encargos e impostos diante de tudo que foi arrecadado.

Seja complacente com a arte, não ignore se informe e passe a contribuir com a nação em um campo que ainda não se fez muito pelo ser. Esqueça os que usam de má fé, você sabe que em todos os campos existe o fiel e o infiel.
Agora, você pode descansar e buscar ajudar, ser parceiro, do menor que está perto de você e quem sabe até dentro de sua comunidade ou nos recantos mais longínquos do país.

A arte conta com você!

Gil

Gil Assessoria Musical 

domingo, 18 de junho de 2017

Autorização De Uso Da Música - USUÁRIOS DE MÚSICA

Isso dá as pessoas (autores) que fizeram a música um rendimento de direitos autorais.
Desta forma, são recompensados ​​pelo trabalho árduo de compor canções que fazem o ambiente de trabalho, a sua festa, render, brilhar bem mais.
Não só rádios, mas todo lugar público precisa da autorização do autor, da editora para execução da obra.
Falta muito esforço para educar o público, os usuários, sobre a necessidade da proteção de direitos autorais, para que o criador possa ter o prazer de continuar criando arte alimentando o mercado de forma saudável e também possa cuidar de si e de seus queridos, sua família, viver da arte de forma decente.

São usuários pessoas físicas ou jurídicas.
Seja rádio ou demais empresas como: restaurantes, hotéis, estádios, casas de shows, eventos públicos em geral. Pela legislação todas são passíveis de arrecadação.
Nesta página do Ecad Usuário de Música você terá com clareza quem são os envolvidos nesta rede de consumo.

Os artistas deste país precisam ficar de olho, entre tantas lutas o autor não tem nada do seu lado. Apenas a lei, esta muitas vezes quem a faz cumprir não consegue atingir os objetivos que o autor precisa para sua sobrevivência.
Tem outra coisa muito triste que acontece, são muitos os políticos donos de empresas usuárias de músicas que querem a isenção destes ramos, desta forma todo autor seria prejudicado, tanto os brasileiros como os estrangeiros.

É realmente, gente sem um pingo de preocupação com o povo, qual o país que vive sem música?
O que os nossos músicos tem para sobrevivência. Deviam fazer festa muda, ter rádio muda... Etc.
E não se apropriar do alheio, usar o alheio. Querem fazer leis para tirar seus direitos. Se informe!

Coisa muito séria, ainda não temos num todo formação para apoiar os criadores, não temos de nossas famílias, de empresas, resumindo da população em geral. Falta muito para que se entenda que o autor é o produto principal de toda cadeia da música não só no Brasil mas, no planeta.
As empresas só apoiam quem lhes dá visibilidade, não investem em artistas pequenos e as famílias gostam de seus filhos mas, não os desejam em um mercado que não dá o retorno almejado.

Aparecer alguém que perceba isso é um milagre e lhe confesso, ainda não encontrei.

#usuáriosdemúsica #autor #estrangeiros #empresários

Posso te ajudar?

Gil

Gil Assessoria Musical